“Figurino nunca deveria dominar um filme, esse é o direito reservado para a estória” Com essas palavras Walter Plunkett define o papel de um figurino, Plunkett foi nada mais nada menos do que o idealizador de um dos figurinos mais icônicos da história do cinema: E o Vento Levou.

vento_levou4

No filme protagonizado por Vivien Leigh,  Scarlett O’Hara é uma jovem mimada em meio a guerra civil americana. As primeiras aparições de Scarlett são um deslumbre para os olhos, os vestidos pesados e armados decorados por laços, fitas e babados e assessorados com chapéus.

vento_levou1

 

No segundo ato do filmes, encontramos uma Scarlett com problemas financeiros e de volta ao seu lar.  Nesse momento uma das cenas mais importante é em que Scarlett tira as cortinas de veludo de casa, com a ajuda da sua fiel Mammie, e transforma em um belo vestido volumoso com franjas.

vento_levou2

Walter Plunkett trabalhou em inúmeros filmes entre eles : King Kong (1933), The Adventures of Tom Sawyer (1938), Concurda de Notre Dame (1939), Madame Bovary (1949), Pollyanna (1960), entre outros. E ganhou o Oscar de melhor figurino em 1952 por Sinfonia de Paris.

vento_levou3

 

E como Scarlett O’Hara “Afinal, amanhã é um outro dia

renataesteves (2)

 

Author

Write A Comment