Categoria

Vida Real

Categoria

Um novo movimento está tomando conta do mercado: No Brand ou Sem Marca. Mais do que um ideal, retirar toda a força do marketing de um produto, é uma nova solução para preços mais justos e a valorização do produto em si. Marcas como Brandless que oferecem uma gama variada de produtos desde alimentos a itens de papelaria e a The Unbranded Brand que oferece calças jeans sem tags.

A ideia de produtos sem rótulos e marcas não é nova, em 1986 o New York Times já havia publicado um artigo sobre o assunto, falando a respeito de produtos genéricos e a dificuldade de mantê-los em alta no mercado. A ideia de produtos mais baratos sem marca era muito atrativa, porém, notou-se uma falta de confiança do publico no genérico.  A solução dada na época foi a criação de promoções e marcas mais simples que agregassem o valor de volta ao produto.

 Em um artigo para a revista Forbes, Ryan Erskine estrategista em marketing e branding, levanta uma questão central: Ao conseguir levar ao consumidor essa ideia de marca sem marca será que as não marcas não estão construindo uma marca? Ficou confuso? Veja o exemplo da Muji, empresa japonesa que oferece milhões de itens sem nenhum rótulo, produtos considerados minimalistas. Pois bem, a Muji se enquadra em uma não marca mas, ela está firme e forte por ai e o nome dela em nossas mentes. Inclusive é alvo de desejo por consumidoras aficionadas em papelarias e produtos para casa.

Voltando a Brandless, a marca afirma que retirando todos os valores de licenciamento os produtos chegam a ter uma variação de preço mais baixo no mínimo de 40% e chega ao impressionantes 370%. O cuidado com as embalagem e beleza delas podem ser capazes de conquistar o consumidor. Mas só será válido o movimento se o consumidor entender as vantagens da compra: preço justo, produtos pensados para todos e qualidade. E não como o incrível produto da no brand.

Pensa em uma pessoa que era super desorganizada, que comprava agenda e nunca usava. Essa era eu 4 anos atrás, antes do planner, não que seja milagroso mas descobri como me organizar em método que funciona para mim.

O que é um planner?

É uma metodologia de organização para que todos compromissos, acontecimentos e planejamentos sejam otimizados.

Como tudo começou?

Eu descobri o planner por acaso na internet quando uma marca começou a fabricar um modelo personalizado. Confesso que no começo achava uma agenda muito bonita e cheia de espaço. Com o uso, descobri novas funções e layouts, acredite existem diversos tipos de planners e de layouts. Existem cadernos, bullets e afins. Mas para mim, o meu tem que ter visualização semanal e três espaços por dia para preencher. Nessa divisão consigo fazer a diferenciação por prioridades, por exemplo, usar os quadrados de baixo para atividades fixas, que são diárias ou semanais. Ou ainda, usar o primeiro quadrado de segunda com coisas importantes para fazer na semana.

Outro salto na minha forma de usar o planner foi a descoberta de comunidades no Facebook, lá encontrei inspiração e dicas para me organizar de forma eficiente. Existem também diversos livros sobre o assunto.

Dica 1!

No pinterest você encontra diversas inspirações, nas comunidades do facebook você consegue interagir com diversas pessoas e descobre todo o universo planner, mas é com o uso que você consegue definir qual o melhor tipo para você.

Dica 2!

Existem planners todos os preços e também é possível baixar gratuitamente diversos modelos para imprimir.

Dica 3!

Não subestime o adesivo, pode parecer bobo, porém existem adesivos só para planejamento e que ajudam a sinalizar eventos, compromissos e até metas.

Semana passada decidi dar um belo passeio pela 25 de março, região de comércio popular em São Paulo. Munida de uma mala de rodinhas, uma amiga e muitas ideias na cabeça partimos para uma grande aventura! Parece exagero mas não foi. Faziam anos que eu não ia até a 25 e dessa vez eu queria ver coisinhas de decoração e bijuterias. Começamos pela ladeira porto geral, lá sempre encontrei bijus legais com um bom preço. Depois desembocamos na Basílio Jafet e por fim fomos mesmo a rua 25 de março.

O que você precisa saber para um bom dia de compras na 25?

A região da 25 é muito ampla e você pode encontrar diversos preços em ruas diferentes. Por exemplo, na você encontra diversas lojas para festa e com preços, muitas vezes menores dos que na 25 de março propriamente dita.  Outra informação importante é que na Ladeira Porto Geral existe um shopping com milhões de lojas ( ok exagerei, com muitas lojas)  de bijuteria, acessórios  e beleza.

Algumas lojas vendem atacado

Nessas lojas existe um valor mínimo a ser gasto, que começa aproximadamente em 3o reais mas, em outras se comprar um numero de peças iguais ou um valor mínimo  a compra é contabilizada como atacado. Vale a pena perguntar sempre!

Seu tênis é seu melhor amigo

Parece óbvio esse comentário, mas não é. A escolha do calçado é essencial, na 25 você pega fila em todo lugar, anda horrores e por isso algo confortável e que não esquente o pé e nem te deixa com frio é tão importante.

Paciência…

Pois é, ela também deve ser levada a 25, afinal de contas a fila é encontrada desde a loja até para sentar e comer no Mc.

Mala?

Essa foi a primeira vez que eu carreguei uma mala de rodinhas, foi outra experiencia. Além de me desocupar os braços, eu não carreguei o peso o dia todo para cima e para baixo.Fora ser palpada de me preocupar com as sacolas nas entradas das lojas e de serem lacradas em cada loja.

Ultima dica!

Se for de carro fique esperta! Muitas vezes os estacionamentos fazem preços abusivos na região. Tente descobrir os preços antes de sair de casa, e converse na porta do estacionamento para ter certeza dos valores.