Categoria

Renata

Categoria

Olá! Desde que lancei minha coleção de semijoias com a Nó de Amor, estou louca para mostras as peças para vocês! Mas, primeiro vou contar um pouquinho da história da coleção. Quando sentamos para fazer a parceria, imaginamos peças que encaixassem com aquilo que uso normalmente, com vocês e claro, com as tendências do momento. Essa coleção envolve muito amor e gratidão e por isso as fotos foram feitas com muito carinho para que vocês pudessem vê-las bem.

Além das fotos, o conteúdo de hoje conta com um vídeo super especial com a Pri, explicando nossas peças e mostrando um pouco mais:

Para minhas leitoras queridas tem desconto com o cupom

AMOPOA

Todos nós vivemos momentos em que tudo parece colidir, em que as emoções, tarefas e trabalhos tornam-se um grande fardo. Muitas vezes o dia a dia nos engole e o tempo parece se esgotar, com isso ficamos cansados, apáticos e explosivos. Não é sempre que isso tudo acontece próximo as  férias ou um  tempo livre para que você descanse de tudo isso. Por isso eu reuni algumas dicas de pequenas válvulas de escape para que o seu dia a dia fique mais leve.

1 . Escreva / Desenhe

Para alguns a escrita é uma ótima válvula de escape, anotar o que sentimos nos ajuda a por para fora tudo o que está incomodando.  Outra boa forma é desenhar, se as palavras não saem, desenhar é uma forma de fluir também.  Você não precisa ser um grande escritor, um grande desenhista ou ainda fazer algo com sentido, o que é necessário é jogar tudo o que sente em algum lugar.

2. Meditar

Se sua mentes é inquieta, como a minha,  você pode pensar que a meditação não é sua praia. Nesse momento devo discordar, eu descobri que para mim meditações guiadas, ou seja , com uma leve narração me ajuda demais.  E aqui eu abro um parêntesis para contar minha experiência:

Eu sou do tipo de pessoa que quando decide fazer uma meditação no silencio e sem musica, fecho meus olhos e começo a pensar “ai que gostoso estou meditando, será que eu tinha que estar pensando que eu estou meditando? Bom, agora vai, então eu prometi a fulano que eu tinha que fazer… Pera eu to meditando. Ok, olha eu não estou pensando em nada. Mas, se eu to pensando que eu não to pensando em nada, eu não estou pensando? ” E por ai vai a tortura. Com a meditação guiada consigo limpar a mente e deixar fluir.

3. Gratidão

Eu já ouvi dizer que as pessoas gratas são as mais felize. Eu concordo com isso, por isso eu sempre escrevo no planner, em caderninhos ou em algum papel algumas razões pelas quais estou grata.  Outra dica é guardar algumas lembranças de momentos felizes  ao longo do ano e no dia 31 de dezembro, abrir esses papeis e recordar aqueles momentos importantes.

4. Transforme seu quarto em um santuário

Seu quarto é seu espaço de dormir, local em que você está 100% relaxada e de guarda baixa, por isso ele deve ser seu santuário. Como? Descubra aquilo que te faz bem, podem ser velas cheirosinhas que você possa ascender, incensos, plantinhas, fotos que te recordem de momentos importantes,  almofadas fofinhas e por ai vai. Vale aquilo que te faz bem.

5. Leia

Ler é um exercício mental importante, além de botar o seu cérebro para funcionar, uma boa leitura pode te levar a lugares desconhecidos, te relaxar e criar novas ideias. Quem lê tem um universo de possibilidades. Se você não tem o prazer em ler, tente descobrir novos assuntos que te interessam, tipos de leitura e estilos de escrita.

Lembre-se

  • Você faz seu universo, ou seja aquilo que você vibra te traz experiências. Sejam positivas ou negativas. Por isso, pensamento positivo!
  • Seja gentil consigo, se algo deu errado, se você errou não se cobre tanto. Lembre-se que todo ação que você faz é tentando dar seu máximo.

Imagens: Pinterest

Hoje eu faço 30 anos, uma coincidência engraçada: 30 no dia 30. Mas não para por aí, nasci em uma terça feira 30/08/88, para aqueles que acreditam em numerologia e símbolos uma data cabalística, já que o o numero 8 significa renovação e renascimento e meu nome Renata tem o mesmo significado. Não foi a toda que eu sempre amei mudanças e me adaptei / adapto fácil a elas. Aos 30 posso dizer que já morei fora do país, por um mês, falo 3 línguas fluentemente, já morei sozinha, já voltei para casa e conquistei algumas coisas como o mestrado.  É engraçado entender aos 30 que tantas coisas que passei me fizeram mais forte, mais independente e ativa. Por outro lado, são tantas coisas que quero alcançar ainda que me sinto começando a vida.

Será que aos 30 que a vida começa?

Aos 30 somos considerados adultos, com opiniões ativas e próprias ouvidas por todos, mas e todo aquele universo de coisas que ainda não conquistamos como a casa própria? E a aquela vontade de conhecer todos os cantos do mundo? E as listas intermináveis de desejos e sonhos? Aos 30 já temos  diversas experiências que nos guiam em momentos difíceis,  que nos ajudam a entender as armadilhas que a vida nos coloca, as pedras do caminho e claro os montes a serem escalados. Aos 30 me vejo mais mulher, mais  vaidosa, feliz e contente comigo. Livre para me expor como mulher. Também sinto como se o mundo estivesse ai, pronto para ser conquistado, ser experimentado.  Sábia para aprender a rir de si mesmo e me acolher quando necessário essa é outra conquista da nova década.

A vida nos dá uma oportunidade de recomeçar todos os dias

É o que dizem os mais sábios, todo esse recomeço tem um pé no passado, pois por meio das nossas experiências prévias é que conseguimos fazer diferente.  Por isso, hoje eu declaro o início de uma nova vida, rumo aos próximos 30, com mais e mais listas de ideias e sonhos.

Vamos juntos?