Hoje eu faço 30 anos, uma coincidência engraçada: 30 no dia 30. Mas não para por aí, nasci em uma terça feira 30/08/88, para aqueles que acreditam em numerologia e símbolos uma data cabalística, já que o o numero 8 significa renovação e renascimento e meu nome Renata tem o mesmo significado. Não foi a toda que eu sempre amei mudanças e me adaptei / adapto fácil a elas. Aos 30 posso dizer que já morei fora do país, por um mês, falo 3 línguas fluentemente, já morei sozinha, já voltei para casa e conquistei algumas coisas como o mestrado.  É engraçado entender aos 30 que tantas coisas que passei me fizeram mais forte, mais independente e ativa. Por outro lado, são tantas coisas que quero alcançar ainda que me sinto começando a vida.

Será que aos 30 que a vida começa?

Aos 30 somos considerados adultos, com opiniões ativas e próprias ouvidas por todos, mas e todo aquele universo de coisas que ainda não conquistamos como a casa própria? E a aquela vontade de conhecer todos os cantos do mundo? E as listas intermináveis de desejos e sonhos? Aos 30 já temos  diversas experiências que nos guiam em momentos difíceis,  que nos ajudam a entender as armadilhas que a vida nos coloca, as pedras do caminho e claro os montes a serem escalados. Aos 30 me vejo mais mulher, mais  vaidosa, feliz e contente comigo. Livre para me expor como mulher. Também sinto como se o mundo estivesse ai, pronto para ser conquistado, ser experimentado.  Sábia para aprender a rir de si mesmo e me acolher quando necessário essa é outra conquista da nova década.

A vida nos dá uma oportunidade de recomeçar todos os dias

É o que dizem os mais sábios, todo esse recomeço tem um pé no passado, pois por meio das nossas experiências prévias é que conseguimos fazer diferente.  Por isso, hoje eu declaro o início de uma nova vida, rumo aos próximos 30, com mais e mais listas de ideias e sonhos.

Vamos juntos?

 

Autor

Escreva um comentário